Planeta

Resíduos Sólidos

A gestão eficaz de resíduos é importante para concretizar nossas metas mundiais de fabricação e sustentabilidade.

Em 2014 estabelecemos nossa meta voluntária de sustentabilidade para resíduos sólidos. Também aprovamos uma "Norma Global de Desempenho de Gestão de Resíduos", a qual define práticas mundiais aceitáveis de manuseio de resíduos. Já reutilizamos de forma benéfica quase metade dos nossos resíduos de fabricação. A nova norma usa os princípios de Excelência de Fabricação para maximizar a eficiência e minimizar os resíduos, e está alinhada com a meta de sustentabilidade de resíduos sólidos que adotamos recentemente. 

Uma redução de 30% até 2020 é considerada uma meta "desafiadora" porque os recursos necessários para alcançar a meta são limitados e porque, algumas vezes, em muitos casos, o custo do uso benéfico ultrapassa o benefício econômico de descarte em aterros sanitários no local.


A gestão eficaz de resíduos é importante para concretizar nossas metas mundiais de fabricação e sustentabilidade.


A liderança é um elemento-chave para alcançar nossa meta de gestão de resíduos que é chegar a zero. A iniciativa de alcançar quase zero em relação aos resíduos para aterros sanitários tem sido abordada por algumas de nossas principais instalações de conversão, as quais enfatizam a eficiência e a reciclagem, sempre que possível, para minimizar os resíduos. À medida que novas tecnologias de separação dos componentes de resíduos vão se tornando mais rentáveis, prevê-se que o nível de resíduos a zero para aterros sanitários se torne também viável em fábricas de papel e celulose. 

O desempenho de resíduos sólidos em 2014 em comparação a 2010 reflete melhorias na eficácia de nossas operações, em termos de resíduos gerados (7% menos resíduos gerados) e resíduos usados de forma benéfica (57% reutilizados em comparação a 50%). A métrica para nossa meta revisada, a qual planejamos rastrear avançando, é a "redução do percentual de resíduos de fabricação para aterros sanitários por tonelada de produção de papel e celulose". Nesse contexto, a produção se refere a produtos adequados para venda.

Nosso valor de referência de "toneladas métricas de resíduos de fabricação descartados em aterros por 1.000 toneladas métricas de produção" em 2010 era 66 e nosso valor de 2014 é 55, um declínio de 17% e um progresso rumo à nossa nova meta de redução de 30% até 2020. Acreditamos que a aplicação de materiais residuais no solo provenientes da fabricação de papel e celulose representará um papel importante na concretização do nosso objetivo de redução de resíduos para aterros sanitários até 2020.